Como montar uma fábrica de bolsas de couro

bolsas

Como montar uma fábrica de bolsas de couro

Se você tem talento para projetar bolsas de couro elegantes, que sempre recebem elogios, e está pronto para compartilhá-lo com o resto do mundo: é hora de montar o seu negócio.

O Brasil é um grande exportador de couro, esse mercado movimenta cerca de 20 bilhões de dólares por ano. Sendo assim, uma fábrica de bolsas de couro pode ser um empreendimento extremamente lucrativo e que vai te fazer se sentir realizado profissional e criativamente.

Não sabe como começar? Não tem problema. Nós apresentamos aqui tudo que você precisa saber para montar a sua fábrica de bolsas de couro:

1. Crie um design exclusivo:

O mundo da moda é marcado por padrões, assinaturas e exclusividade. Mesmo que você não vá vender peças únicas, é importante que tenha um padrão próprio, algo que faça com que seus clientes reconheçam suas peças. Projete uma bolsa que você pessoalmente goste, que tenha um estilo específico e que vai fazer com que você se sinta confortável ao promover e vender. Sugerimos que antes de montar uma fábrica você faça um teste de mercado com as suas criações.

2. Planeje, ou seja, desenvolva um plano de negócio

No mundo dos negócios, uma boa ideia não é garante sucesso, mas sim um bom planejamento. É por ele que você deve começar. Um plano de negócio é uma descrição escrita de como será o seu empreendimento, um documento que contém seus planos e o modo como você pretende executá-los.

Um plano de negócio precisa deixar claro quais os objetivos e metas de um negócio, bem como as estratégias para alcançá-los. É preciso fazer uma análise do cenário no qual seu negócio se insere, concorrências, demandas, perfil do público-alvo, etc. Pesquise sobre o mercado de bolsas, analise as oportunidades que podem beneficiar o seu produto.

O plano de negócio também deve incluir a estrutura organizacional da sua empresa, o quanto de capital você precisa para começar, etc. Essas informações são organizadas em três principais partes, são elas:

  • O conceito do negócio: é nessa parte que será discutido o cenário do setor no qual seu empreendimento se enquadra, o serviço ou produto propriamente dito, a estrutura do negócio, a missão, a visão, os objetivos. Aqui você deve pensar em quantos funcionários via precisar, no maquinário, logística, etc.

  • O mercado do negócio: Descrição e análise dos consumidores e potencial. Quem são eles? Onde estão? Quais suas motivações de compra? Nesse ponto, você também vai tentar analisar a sua concorrência e como se posicionar para vencê-la.

Dica: A maioria das fábricas que trabalham com couro se situam nas regiões Sul e Sudeste, que concentram 82% da capacidade produtiva do país, o que, obviamente, aumenta a concorrência e as exigências mercadológicas para seu negócio. Caso você pretenda montar seu negócio numa dessas regiões, deixamos um lembrete: com bom gosto e excelência na produção de suas bolsas você pode se destacar.

  • A sessão financeira: Contém sua renda, o fluxo de dinheiro, custos, projeções de vendas, etc.

3. Exigências legais

Depois de tudo planejado, é hora de registrar a sua empresa e obter as licenças de funcionamento necessárias para que sua fábrica funcione regularmente. Para isso você vai precisar de um contador, esse profissional vai poder te informar sobre os tributos pertinentes ao seu negócio.

Para legalizar a empresa, é necessário procurar os órgãos responsáveis para as devidas inscrições. É necessário registrar a empresa nos seguintes órgãos:

  • Junta Comercial;

  • Secretaria da Receita Federal (CNPJ);

  • Secretaria Estadual da Fazenda;

  • Prefeitura do Município para obter o alvará de funcionamento;

  • Enquadramento na Entidade Sindical Patronal;

  • Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”;

  • Corpo de Bombeiros Militar.

  • Obtenção do alvará de licença sanitária.

Quanto ao enquadramento, o segmento de fabricação de bolsas de couro pode ser uma ME (Microempresas) ou uma EPP (Empresas de Pequeno Porte, a depender do porte. A receita bruta anual da ME não deve passar de R$ 360.000,00, já nas EPP o valor é de até R$ 3.600.000,00.

4. Execute seu plano de negócio:

Com a documentação pronta, chega o momento de executar o plano de negócio, ou seja, organizar de fato o seu negócio: contratar pessoal, adquirir maquinário, mão de obra, insumos, etc.

5. Pense no marketing.

O marketing é fundamental para qualquer negócio então o ideal é que você desenvolva um plano de marketing determinando aspectos como o seu posicionamento no mercado, o tom, quais mídias serão utilizadas para divulgar o seu negócio, etc.

Gostou das dicas? Agora é a hora de colocá-las em prática e estabelecer seu negócio!

Acrescente mais ao nosso artigo, deixe seu comentário abaixo e para receber artigos como estes se inscreva em nossa lista vip.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *